February 3, 2017

Museu do Aljube – Resistência e Liberdade

O Museu do Aljube – Resistência e Liberdade é dedicado à memória, do combate à ditadura e da resistência em prol da liberdade e da democracia.

É um museu que pretende valorizar as memórias comuns de resistência e evidenciar os principais traços do regime ditatorial que submeteu o nosso país durante quase meio século e dar voz às vítimas e mostrar como é longo e difícil o caminho da sua reabilitação, impondo a verdade e o exemplo sobre o silêncio e o embuste.

Pretende, ainda, honrar os resistentes que ousaram empenhar-se numa luta desigual e sempre ameaçada pela perseguição e pela prisão, pela tortura, pelo exílio, pela deportação e quantas vezes pela morte.

Tem, também, como objectivo restituir a memória coletiva à cidadania, na sua pluralidade e assegurar que o nosso futuro não seja amputado do nosso passado.

O futuro cria-se no presente com a memória do passado.

Um conjunto muito diversificado de personalidades* compõem o conselho consultivo do museu tendo como principal missão o aconselhamento sobre programação e iniciativas a desenvolver no âmbito das suas atividades.

*António Borges Coelho (presidente), António Reis, Artur Pinto, Aurélio Santos, Frei Bento Domingues, Carlos Matos Gomes, Casimiro Levy Baptista, Cláudio Torres, Daniel Cabrita, Diana Andringa, Francisco Fanhais, Irene Pimentel, Isabel do Carmo, Jacinto Godinho, José Augusto Rocha, José Manuel Tengarrinha, José Pacheco Pereira, Manuel Macaísta Malheiros, Manuel Pedroso Marques, Mário Brochado Coelho, Raimundo Narciso, Ruben de Carvalho.

O Museu do Aljube ocupa o edifício conhecido como Prisão do Aljube, mesmo ao lado da Sé, na rua de Augusto Rosa, nº 42.

www.museudoaljube.pt