12 Novembro, 2015

Maria do Mar Fazenda vence Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/ EGEAC 2015

Nesta primeira edição, o júri, composto por Ângela Ferreira, Miguel von Hafe Pérez e Sara Antónia Matos, decidiu, por unanimidade, atribuir o prémio ao projeto apresentado pela curadora.

A atribuição do prémio a Maria do Mar Fazenda justifica-se pela consistência conceptual do projeto de curadoria que se propõe analisar o próprio conceito de museu, numa perspetiva crítica e aberta à interpretação. Para tal, a curadora faz uma seleção consciente de artistas que incorporam no seu percurso pessoal um trabalho de investigação na área. O projeto assume-se como uma entidade processual aberta à discussão pública, que toma como ponto de referência a entrevista a Júlio Pomar, por Helena Vaz da Silva, da qual se extrai o título poético que dá nome à exposição: “- já reparaste como o ponto de interrogação parece uma orelha, e como a interrogação se faz escuta?”.

A apreciação do júri teve ainda em conta a exequibilidade do projeto, que se traduz no modo realista como a curadora vai fazer uso do espaço expositivo do Atelier-Museu e adequá-lo às obras, o trabalho integrado entre curadores, artistas e instituições e o sólido percurso teórico e curatorial da proponente.

O projeto vencedor, escolhido entre 24 candidaturas com propostas curatoriais de grande qualidade, em que se exigia aos proponentes um currículo prévio e um percurso já firmado dentro da área da curadoria e da escrita sobre arte, terá o formato de uma exposição a concretizar no espaço do Atelier-Museu Júlio Pomar, durante o mês de Março de 2016, produzida e financeiramente suportada pela instituição. No âmbito da referida exposição, será ainda produzida uma publicação/catálogo.

O Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/EGEAC, atribuído a partir de uma Open Call/Chamada de Trabalhos, distingue um projeto de curadoria de arte contemporânea, envolvendo em simultâneo três vertentes: a produção artística, a produção crítica ou ensaística e a prática curatorial.

Procurando juntar curadores, artistas e instituições, num momento em que a maioria dos prémios atribuídos em Portugal, para o domínio das artes, são vocacionados e diretamente dirigidos a artistas, o Prémio de Curadoria Atelier-Museu Júlio Pomar pretende fomentar o exercício no campo da curadoria de arte contemporânea, a produção de fortuna crítica e a concretização editorial.