1 Junho, 2016

Fernando Pessoa nasceu há 128 anos

“Minha alma é uma orquestra oculta. Não sei que instrumentos tange e range, cordas e harpas, timbales e tambores, dentro de mim. Só me conheço como sinfonia.” Bernardo Soares

Em dia de aniversário, o 13 do mês de junho, na Casa que tira o chapéu ao poeta, um programa musical alargado, composto por três momentos: um recital e uma oficina para os mais pequenos à tarde; o concerto de Sofia Vitória ao fim do dia.

 

Programa

15h20 “Pessoa: uma sinfonia” é um recital, para famílias, de Ana Sofia Paiva com Otto Pereira (violino) e Raquel Reis (violoncelo)

No dia de Santo António, a 13 de junho de 1888, pelas 15 horas e 20 minutos, no 4.º andar esquerdo do n.º 4 do Largo de São Carlos, nascia Fernando Pessoa, pequenino. Ensaiava a orquestra, a prima-dona cantava… E o menino? Sonhava? Este foi o ponto de partida para um recital de escritos pessoanos para pessoas a partir dos três anos, que propõe-se encontrar a Sinfonia de Pessoa: as  cordas e os tambores da sua relação com a infância, do seu propósito neste mundo, da sua complexa identidade. O maestro sacode a batuta e começa um recital para a infância, de poesia, de memória e sonho.

 

16h30 “Música… que sei eu de mim?” oficina de poesia, musicalidade e oralidade para famílias e crianças a partir dos 6 anos, com Ana Sofia Paiva

Esta oficina surge no contexto do espetáculo-recital “Pessoa: Uma sinfonia”. Foi no Largo de São Carlos que o poeta nasceu, entre as badaladas do sino da Igreja dos Mártires e os ensaios do Teatro. A música foi parte integrante do seu crescimento. A primeira infância passou-a a brincar consigo próprio, embalado pelas melodias da orquestra. Havia uma criada velha, que cantava; o pai era amador e crítico de música; a mãe tocava piano; o padrasto, flauta. Entre serões musicais, chás-dançantes e lições de canto, começou a “palavrar”. Terá ficado gravado no seu mais íntimo que Palavra é colo, som, infância, tempo que passa como água correndo? Em “Música… Que sei eu de mim” vamos ser maestros de nós mesmos, brincar com o tempo, com a memória e com as palavras, em busca da grande sinfonia de que somos feitos.

 

19h00 “ECHOES” de Sofia Vitória, concerto de apresentação do projecto que parte dos textos em inglês de Fernando Pessoa
Fernando Pessoa partiu há 80 anos e as últimas palavras que nos deixou foram escritas em inglês: “I know not what tomorrow will bring”. Este foi o ponto de partida para “ECHOES”, o novo álbum da cantora portuguesa Sofia Vitória. Aquele que é o primeiro disco inteiramente dedicado à poesia e prosa em inglês de Fernando Pessoa, conta com os músicos José Peixoto (guitarras), Luís Figueiredo (teclados e arranjos), Eduardo Raon (harpa e guitarra elétrica), António Quintino (contrabaixo) e Joel Silva (bateria). As palavras inglesas de Pessoa ganham vida pelas mãos de compositores como Amélia Muge, Mário Laginha, José Mário Branco, António Zambujo, João Paulo Esteves da Silva, entre muitos outros. O disco é uma co-produção com a Casa Fernando Pessoa e o pré-lançamento faz-se neste 13 de Junho, aniversário do escritor.

 

CELEBRAÇÃO: 13 JUNHO
A entrada é livre nestes eventos, limitada aos lugares existentes.
E a visita à Casa tem redução de 50% durante o dia 13 de junho.

Casa Fernando Pessoa

Rua Coelho da Rocha, 16

1250-088 Lisboa
http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/