5 Outubro, 2015

Exposição “Desenhar” junta obras de Rui Chafes e Júlio Pomar

A exposição dá início a um programa de exposições do Atelier-Museu que procura cruzar a obra de Júlio Pomar com a de outros artistas, de modo a
estabelecer relações entre a obra do pintor e a contemporaneidade.

A acompanhar cada uma destas exposições, teremos a edição de uma entrevista aprofundada com cada um dos artistas convidados, permitindo compreender,
através da voz de cada autor, as motivações e fundamentos inerentes às suas obras, sublinhando a importância da autoria na produção artística contemporânea.

IMG_0565
Pormenor de imagem da obra “As tuas Mãos” de Rui Chafes

 

A exposição Júlio Pomar e Rui Chafes: Desenhar debruça-se sobre uma particular ideia de ‘desenho’ ao cruzar os trabalhos de Júlio Pomar e de Rui Chafes.
Nela, mostrar-se-ão desenhos de Júlio Pomar e duas obras em ferro/instalações de Rui Chafes. Deste último, será produzida uma obra especificamente para esta exposição, e outra será mostrada pela primeira vez em Portugal.Realizadas em ferro, meio de eleição do artista, estas duas obras assumem um carácter de desenho no espaço do Atelier-Museu.
Deste modo, esta exposição é pensada, desde a sua génese, como uma intervenção específica no espaço do Atelier-Museu, onde Júlio Pomar e Rui Chafes desenham recorrendo às qualidades dos traços negros, esboçados ora em linhas de carvão e grafite ora em linhas de ferro tridimensionais.
Desta exposição irá resultar um catálogo, com textos de João Barrento e Maria João Mayer Branco, e imagens das obras instaladas no espaço.

Rui Chafes formou-se em Escultura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, em 1989, seguindo depois para Dusseldorf, onde frequentou a Kunstakademie, sob a direcção do artista alemão Gerhard Merz. O interesse de Chafes pela cultura alemã tem sido uma constante, e não se limita apenas a uma referência de base da sua obra plástica. Traduziu, entre outros, os Fragmentos de Novalis (Ed. Assírio & Alvim, 1992) e refere-se-lhe constantemente em escritos e citações que acompanham toda a sua obra.

Chafes expõe regularmente desde os anos 80, e desde cedo consolidou uma carreira que inclui diversas exposições em Portugal – em espaços tão conceituados como o Museu Serralves, o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian ou o Museu Colecção Berardo – e no estrangeiro.
Foi representante português na Bienal de Veneza (1995, com José Pedro Croft e Pedro Cabrita Reis) e a Bienal de São Paulo (2004, com o projecto conjunto com Vera Mantero).

Estudos de desenhos de Júlio Pomar
Estudos de desenhos de Júlio Pomar

 

Com curadoria de Sara Antónia Matos, a exposição Júlio Pomar e Rui Chafes: DESENHAR estar patente no Atelier Museu Júlio-Pomar, de 8 outubro a 20 fevereiro.