Comemorações do 25 de Abril

No ano em que celebramos o 43º aniversário da Revolução dos Cravos, a EGEAC organizou um programa especial que compreende música, debates, cinema, visitas guiadas, workshops e exposições.

Não nos circunscrevemos apenas à evocação da luta pela Liberdade mas, atentos à diversidade do universo latino-americano e das diásporas que residem em Lisboa, apresentamos pela primeira vez em Portugal a exposição “Operação Condor”, da autoria do fotógrafo João Pina. Esta exposição, patente no Torreão poente do Terreiro do Paço, mostra-nos o lado negro de uma operação secreta – envolvendo vários países que partilharam regimes ditatoriais e utilizaram meios brutais – para calar e controlar todos aqueles que se opunham.

O programa Abril em Lisboa propôs, ainda, um espaço de reflexão sobre a abstenção eleitoral e o afastamento entre os cidadãos e a política. Através de conversas, filmes, debates e até um encontro cara a cara com deputados dos partidos com assento na Assembleia da República, o Festival da Política, que decorreu no cinema São Jorge, convidou à participação e apelou ao contributo colectivo e democrático.

E porque toda a revolução é acompanhada pela canção, juntámos as nossas vozes às de vários artistas, num concerto que nos trouxe “Canções para Revoluções”. Músicas que ficaram para sempre associadas a momentos políticos marcantes em vários países do espaço geográfico ibero-americano, e cujas mensagens moravam nas entrelinhas, ganharam novos arranjos e foram reinterpretadas por uma série de convidados criando um momento único e irrepetível, que aconteceu na noite de 24 de Abril no Terreiro do Paço.

Numa rara oportunidade, abrimos um espaço há muito fechado – uma pequena sala de visionamento no Cinema São Jorge, que terá sido utilizada pela censura – onde foi exibido “Censura: alguns cortes” de Manuel Mozos, editado a partir de cortes realizados pelos censores em filmes que tiveram distribuição comercial em Portugal, entre 1950 e 1972.

O Museu do Aljube juntou-se às comemorações com uma programação intensa, cumprindo os seus desígnios de restituir a memória colectiva à cidadania, em prol da Liberdade e da Democracia.

Consulte a programação detalha em: http://lisboanarua.com/abrilemlisboa/