Galerias Municipais

À semelhança do que acontece noutras cidades, em Novembro de 2002, a Câmara Municipal de Lisboa criou a entidade plural das “Galerias Municipais” com a missão de gerir os espaços expositivos da CML providenciando a mediação da arte contemporânea para diversos públicos. Em Janeiro de 2015 estes espaços expositivos transitaram para a gestão da EGEAC, permitindo uma maior agilidade de programação e dinamização de modelos de gestão, financiamento e relacionamento com o público.

As Galerias Municipais pretendem ser locais que respondem com flexibilidade à mudança social e política, perseguindo uma programação participada, com uma base discursiva inerente e com abertura ao meio (local, nacional e internacional). Pretende-se criar espaços activos: parte centro comunitário, parte laboratório e parte academia, enquanto organização progressiva e de crítica, acessível.
As galerias consistem nos seguintes espaços: Pavilhão Branco, Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Galeria da Boavista, Galeria Quadrum, Galeria da Avenida da Índia e Palácio Pombal. Artistas como Armanda Duarte, Filipa Roque, Jorge Queiroz, Luís Dourdill, Manuel Santos Maia, Sebastião Salgado, e curadores como Bárbara Silva, Delfim Sardo, Elsa Peralta, Filipa Oliveira e Marketa Stara ajudaram a construir um ano recheado de actividades, com destaque ainda para as exposições de Francisco Tropa, José Pedro Croft e Nicolás Robbio e para a publicação de edições (livros que acompanham as exposições como da produção ensaística – por parte de João Silvério, Maria Filomena Molder, Óscar Faria, entre outros).
Numa lógica de sintonia com as caraterísticas dos espaços, cada galeria é gerida de acordo com uma estratégia específica, sem perder de vista as necessidades dos agentes culturais e a(s) dinâmica(s) da cidade:

Pavilhão Branco - Freancisco Tropa - Tesouros Submersos Antigo Egipto

Pavilhão Branco

Situado no Campo Grande, o Pavilhão Branco tem vindo a desempenhar um papel central na estratégia municipal de arte contemporânea, representando uma mais-valia na diversificação da sua oferta. As caraterísticas arquitetónicas do espaço convidam à realização de exposições com cariz “site-specific”: acolhendo habitualmente quatro mostras por ano, proporciona tempos de montagem e de exposição mais longos, de forma a que alguns dos projetos mais emblemáticos sejam definidos em função  – e façam sentido sobretudo – neste pavilhão. A sua linha programática tem apostado consistentemente na presença de artistas em “meio de carreira”, isto é, com um percurso já assinalável, que encontram aqui um local de dimensão que lhes permite apresentar um novo projeto com assinalável alcance. (Na imagem, Francisco Tropa: Tesouros Submersos Antigo Egipto.)

Horário

Terça a domingo: 10h às 13h e 14h às 18h
Encerra às segundas e feriados
Última admissão: 30 minutos antes da hora de encerramento

Endereço

Museu de Lisboa – núcleo Palácio Pimenta, Campo Grande 1700-091 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarros: 207, 701, 717, 731, 735, 736, 738, 747, 750, 755, 767, 777, 783, 796, 798
Metro: Campo Grande

Contactos

+351 217 513 232
galeriasmunicipais@egeac.pt

 

 Quadrum - Bruno Cidra - Cortina

Galeria Quadrum

Laboratório da arte experimental portuguesa nas décadas de 1970 e 1980, a Galeria Quadrum nasceu de um sonho da artista e colecionadora Dulce D’Agro. Projetada pelo arquiteto Fernando Peres e instalada no palácio dos Coruchéus, teve um caráter pioneiro, revelando nomes fundamentais da arte portuguesa, e depressa revelou uma vocação de polo cultural da cidade. Mantendo viva esta tradição da sua génese, quer continuar a ser um espaço de apresentação de jovens artistas, onde se construam projetos continuados de serviço educativo envolvendo a comunidade local. O programa Budapeste é um desses projetos e apresenta desde 2013 jovens artistas portugueses, que o Município de Lisboa seleciona para uma residência na capital húngara; e que em muitos casos aqui apresentam a sua primeira exposição individual. (Na foto: Cortina de Bruno Cidra.)

Horário

Terça a sexta: 10h às 13h e 14h às 18h
Sábado e domingo: 14h- 18h
Encerra às segundas e feriados
Última admissão: 30 minutos antes da hora de encerramento

Endereço

Palácio dos Coruchéus – Rua Alberto Oliveira 1700-019 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarros: 206, 735, 755, 767
Metro: Alvalade

Contactos

galeriasmunicipais@egeac.pt

Acessibilidade

Acessível a pessoas com mobilidade reduzida

 

Boavista - Note - 3ª Temporada de Arquitectura

Galeria Boavista

Aberta em 2009, a Galeria da Rua da Boavista revelou desde a primeira hora uma vocação abrangente e multifacetada nos seus vários andares: a programação tem vindo a ser partilhada com agentes culturais vários – de associações a festivais, que aqui desenvolvem exposições, performances, concertos ou outras atividades. Assim sendo, vai afirmando a sua marca na cidade enquanto espaço de discussão, apresentação de disciplinas distintas e de informalidade vincada. Estão previstas obras no espaço, após as quais se deverão apresentar aqui os resultados de um “open call” para jovens curadores, a quem serão dadas oportunidades de trabalhar num contexto institucional.

Horário

Quarta a sábado: 14h30 às 19h30
Encerra às segundas e feriados
Última admissão: 30 minutos antes da hora de encerramento

Endereço

Rua da Boavista 50, 1200-066 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarros: 714
Metro/Comboio: Cais do Sodré

Contactos

+351 213 476 335
galeriasmunicipais@egeac.pt

 

09042015-Photo.José FradeDSC_6556_197701

Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional

Esta galeria tem a particularidade de se situar numa parte do complexo da Cordoaria Nacional, monumento nacional de 1779, com uma extensão de quase 400 metros que permitia acolher a extensão das cordas produzidas para barcos. O edifício continua sob gestão da Marinha Portuguesa, com quem a CML assinou um acordo para utilização do Torreão Nascente, com fim à realização de exposições. Sendo um espaço monumental, organizam-se aqui retrospetivas de artistas portugueses como foi o caso de José Pedro Croft, mas há também lugar para parcerias internacionais e nacionais com exposições de grande público, como por exemplo a Genésis de Sebastião Salgado (na imagem). No intervalo entre estes dois modelos são organizadas exposições coletivas, de coleções ou de propostas curatoriais ou artísticas, de grande envergadura.

Horário

Terça a sexta: 10h às 13h e 14h às 18h
Sábado e domingo: 14h- 18h
Encerra às segundas e feriados
Última admissão: 30 minutos antes da hora de encerramento

Endereço

Avenida da Índia 1300-299 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarros: 728
Eléctricos: 15, 18

Contactos

+351 213 646 128
galeriasmunicipais@egeac.pt

 

Av India - Retornar

Galeria Avenida da Índia

O antigo atelier do escultor Lagoa Henriques foi recuperado pela EGEAC em 2015 com a finalidade de se tornar num novo espaço expositivo da cidade: a Galeria Avenida da Índia. Foi inaugurada em Outubro de 2015 com a iniciativa “Retornar” (na foto), que assinalou os 40 anos da ponte-aérea de 1975. Com ela, iniciou-se também o papel de diálogo e questionamento da herança e memória colonial que se pretende desenvolver na linha programática deste local. A sua programação pretende cruzar artistas de várias geografias com trabalho nesta temática, recorrendo a abordagens diversas e disciplinas como a antropologia ou a história .

Horário

Terça a sexta: 10h às 13h e 14h às 18h
Sábado e domingo: 14h- 18h
Encerra às segundas e feriados
Última admissão: 30 minutos antes da hora de encerramento

Endereço

Avenida da Índia, 170 1300-299 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarro: 729
Elétrico: E15

Contactos

galeriasmunicipais@egeac.pt

 

 23092015-23092015-Photo.José FradeDSC_5339_306616

 

Palácio Pombal

Situado na rua de O Século, com cerca de 1560m2 e 1000m2 de jardim, o Palácio Pombal é um edifício seiscentista mandado construir por Sebastião de Carvalho e Melo, avô de Sebastião José de Carvalho e Melo, futuro Marquês de Pombal. O edifício atual é propriedade municipal desde 1968 e é gerido pela EGEAC desde 1997. Em 2009 foi realizada uma parceria com a associação cultural Carpe Diem, que tinha então à frente o curador Paulo Reis, para a dinamização do espaço. Para reforçar a actividade e garantir uma maior utilização do Palácio com vista à sua manutenção, em Janeiro de 2016 uma parte do Palácio voltou a ter programação da EGEAC ao serviço de iniciativas e parcerias desenvolvidas pelas Galerias Municipais e o Teatro Municipal Maria Matos e outros agentes culturais. Cruzando artes visuais e performativas, pretende-se desenvolver um programa formativo transversal potenciando assim o papel do Palácio na cidade.

Horário

Varia consoante as iniciativas

Endereço

Rua de O Século 79 1200-433 Lisboa (mapa)

Como chegar

Autocarro: 758
Elétrico: E28

Contactos

galeriasmunicipais@egeac.pt

AFRICACONT

Africa.cont

A partir de 1 de Julho de 2016, o Africa.Cont integra a linha programática autónoma das Galerias Municipais, visando a sua interligação com os equipamentos das Galerias Municipais e a partir destas fazer os cruzamentos necessários com os restantes equipamentos EGEAC, numa tentativa de afirmação e desenvolvimento dos objectivos de missão deste projeto: pôr o foco em exposições, conferências, ciclos de cinema, livros e música do continente e das diásporas africanas; a abreviatura “cont” aplica-se não só ao continente que inspirou o projeto mas também ao “contemporâneo” enquanto tempo de produção artística.



Pavilhão Branco
Galeria Quadrum
Galeria Boavista
Torreão Nascente da Cordoaria Nacional
Galeria Avenida da Índia
Palácio Pombal
Africa.cont