13 Outubro, 2015

Cultura espanhola invade Lisboa

A EGEAC é parceira da Mostra Espanha 2015 , tendo programação da bienal em vários dos seus espaços culturais.

A MOSTRA Espanha é um evento cultural bienal que oferece ao público português a oportunidade de assistir a uma série de manifestações artísticas representativas da cultura espanhola e do seu património.

Nesta – que é a sua quarta edição –  a Mostra evidencia uma consolidação e um crescimento progressivos, quer em número quer em extensão das suas atividades. A proposta da organização é “interrogar-nos sobre que Espanha é a de hoje (…) e como Espanha e Portugal formam uma Ibéria com gente dentro, gente que entre si fala, comunica e se entende. Sobretudo na e pela cultura.”

Em 13 cidades de Portugal (de Valença a Faro!), de setembro de 2015 a janeiro de 2016, esta mostra traz o melhor da cultura espanhola contemporânea, através de 50 propostas artísticas (que se traduzem em mais de 100 eventos, em áreas disciplinares tão diversas quanto a pintura, a fotografia, o teatro, a dança, a música, o cinema, a arquitetura, as instalações e performances, a joalharia, o azulejo e, até, o design gastronómico).

A EGEAC é parceira da Mostra Espanha 2015 e nesse âmbito tem várias iniciativas a decorrer nos seus espaços culturais.

Na Galeria Boavista inaugurou no passado dia 8 de outubro a exposição “Madrid Abierto em Lisboa: Activando o Espaço Público”, que faz parte da 3.ª Temporada de Arquitetura.
Desta iniciativa fazem parte a apresentação da exposição pelo comissário, Jorge Díez, uma conferência com a artista Diana Larrea, e a apresentação de “Unofficial Tourism” por Iñaki Larrimbe, que propõe 10 itinerários alternativos dentro da cidade de Lisboa.

Nos dias 13 e 19 de outubro, o Festival de flamenco toma o palco do São Luiz Teatro Municipal. Desde 2008, ano da sua fundação, o Festival Flamenco de Lisboa tem recebido os melhores nomes da arte do flamenco. Este ano de 2015 e ao abrigo da Mostra Espanha, o Festival apresenta a  arte do flamenco emergente, com Amós Lora, uma homenagem  a Paco de Lucía, Argentina, cantora flamenca de emoção e “jondura” e Fuensanta La Moneta.

Já nos dias 22 e 23 de outubro, na Casa Fernando Pessoa tem lugar um Colóquio sobre Ángel Crespo. O poeta (que dá nome a um dos mais renomados prémios de tradução em Espanha) não foi apenas um importante estudioso, editor e tradutor da obra de Fernando Pessoa;  o colóquio pretende ressalvar a importância de Crespo para os estudos pessoanos, mas também as suas ligações com a poesia portuguesa e brasileira e com o mundo cultural português, numa altura em que se cumprem vinte anos do seu desaparecimento.

Além do colóquio, no Instituo Cervantes de Lisboa estará ainda patente uma exposição sobre o trabalho de Ángel Crespo, de 22 de outubro a 10 de novembro. Da exposição resultará ainda a edição de um livro – o catálogo da exposição, enriquecido com outros textos.

Toda a  informação sobre a programação pode ser consultada no site oficial.