1 Agosto, 2016

Cruz Magalhães e Bordalo Pinheiro: 100 anos depois

Artur Ernesto de Santa Cruz Magalhães (1864-1928) é o nome do fundador do Museu Rafael Bordalo Pinheiro, situado no Campo Grande, em Lisboa. No próximo dia 6 de agosto, o Museu celebra 100 anos e oferece ao público, a partir das 19 horas, uma série de atividades comemorativas da data.

Foi nos idos de 1916 que Cruz Magalhães, poeta e colecionador, abriu ao público o seu museu “privado”, único no género, à época, em Portugal. Partindo da coleção bordaliana por si reunida com zelo, fruto da admiração profunda nutrida pelo trabalho multifacetado de Bordalo Pinheiro, é hoje possível visitar neste espaço museológico erguido de raiz com a finalidade de apresentar a obra do artista, desenhos, ilustrações e peças cerâmicas plenas de qualidade e humor.

O Museu, instalado na moradia premiada com uma Menção Honrosa do Prémio Valmor de 1914, corresponde assim à concretização do sonho de um homem que, fruto de desgostos pessoais se entregou a reunir, através de aquisições e doações, a vastíssima obra que constitui hoje a maior parte do espólio de Rafael Bordalo Pinheiro ao cuidado deste equipamento – atualmente gerido pela EGEAC.

Sobretudo conhecido do público enquanto caricaturista autor da famosa figura Zé Povinho, e pela fundação da Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha, Rafael Bordalo Pinheiro criou e dirigiu uma série de títulos, de que são exemplo os jornais Lanterna Mágica, O António Maria, Os Pontos nos II e A Paródia. Cruz Magalhães e Bordalo Pinheiro ter-se-ão cruzado uma vez em vida mas a sua ligação resiste até aos dias de hoje e alimenta projetos contínuos de revisita a uma obra afinal cheia de atualidade.

No próximo dia 6 de agosto, a partir das 19 horas, o MBP homenageia o seu fundador com a proposta de uma visita guiada, e animada, à exposição permanente; a apresentação de uma mostra documental referenciada à época e, a fechar, um brinde a Cruz Magalhães acompanhado da projeção, ao ar livre, de filmes de animação realizados por alunos de Zepe, professor na Faculdade de Belas Artes de Lisboa.