11 Novembro, 2015

Ciclo de filmes e de conversas dá “A Palavra aos Artistas”

Os Artistas Unidos, em parceria com o São Luiz Teatro Municipal e Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, promovem um ciclo de cinema sobre as artes e os artistas em Portugal na segunda metade do séc. XX.

São películas que visitam a obra de artistas inovadores, quase sempre com a sua colaboração. “Sim, tentei fazer retratos”, diz Jorge Silva Melo, o comissário deste ciclo e realizador dos filmes. Retratos de oito artistas cujas obras integram a exposição Narrativa de uma Coleção – Arte Portuguesa na Coleção da Secretaria de Estado da Cultura (1960-1990), patente no MNAC – Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado.

 

Nikias Skapinakis, António Sena, Ana Vieira, Álvaro Lapa, Bartolomeu Cid dos Santos, Ângelo de Sousa, Joaquim Bravo, José de Guimarães compõem o grupo de artistas desta mostra que está a ser exibida no Teatro-Estúdio Mário Viegas até ao mês de Maio. Oriundos de expressões como pintura, gravura ou escultura, participaram num dos períodos mais decisivos da produção artística portuguesa do séc. XX. “Tão diferentes todos, tão singulares todos, cada qual tão único. Foi filmar obras diferentes, pessoas únicas (e quase todas reservadas), fazer filmes diferentes, ouvir (filmar é ouvir) diferentes músicas, ousar fazer retratos daqueles que tanto se esquivam. Porque esta é também a minha história, também foram estes artistas que me fizeram. E eu queria contar isso, contar o que eles me contaram”, reflete Jorge Silva Melo sobre estes artistas que observou através da lente da câmara.

 

No Teatro-Estúdio Mário Viegas, cada filme é seguido de uma conversa moderada por uma figura do panorama cultural do País.

 

Comissariado por Jorge Silva Melo, o programa é co-apresentado pelo São Luiz Teatro Municipal e o MNAC – Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, em parceria com o Cinema Ideal e a Midas Filmes.

 

Programa completo