Tapeçaria. Acervo Museu de Lisboa

Tapeçaria. Lã e algodão, 1985
Manufactura de Tapeçarias de Portalegre
1530 mm x 2480 mm

Executada segundo um cartão de Carlos Botelho (1899-1982), a tapeçaria representa uma perspectiva da cidade de Lisboa.

A tecelagem manual é composta por trama decorativa de lã e trama de ligação e teia de algodão. A marca da manufactura, habitualmente tecida num dos cantos inferiores do anverso da peça, é composta pelas iniciais MTP (Manufactura de Tapeçarias de Portalegre). Tal como na maior parte das tapeçarias do acervo, provenientes desta firma, trata-se de um exemplar produzido sob a direcção de Guy Fino, um dos elementos envolvidos na fundação da firma em 1946.

De salientar que a etiqueta de identificação da tapeçaria (bolduc) não apresenta o autógrafo do autor do original, como é habitual, mas a assinatura de sua mulher, Beatriz Santos Botelho, pelo facto de, em 1985, data da execução da tapeçaria, o pintor já ter falecido.

A peça pertence ao acervo do Museu de Lisboa e pode ser vista no Palácio Pimenta, Campo Grande 245.